Dólar passa a subir ante real, de olho no exterior



Moeda recuou 0,43% na véspera e acumula perda de 1,56% em três sessões.


O dólar passou a subir ante o real nesta terça-feira (24), depois de cair boa parte do dia, de olho no comportamento da moeda no exterior e após o recuo registrado nas últimas três sessões, que levou a moeda para perto de R$ 3,15.


Às 16h39, a moeda norte-americana subia 0,04%, vendida a R$ 3,1699, depois de ter recuado 0,43% na véspera e acumulado perda de 1,56% em três sessões. Veja a cotação.


Acompanhe a cotação ao longo do dia: Às 9h09, queda de 0,09%, a R$ 3,1657 Às 9h29, alta de 0,06%, a R$ 3,1709 Às 10h, queda de 0,08%, a R$ 3,166 Às 10h29, queda de 0,16%, a R$ 3,1637 Às 11h19, queda de 0,14%, a R$ 3,1643 Às 12h09, queda de 0,07%, a R$ 3,1655 Às 13h39, queda de 0,09%, a R$ 3,1659 Às 14h29, alta de 0,07%, a R$ 3,1711


"O mercado está indefinido. Chegou num patamar em que aguarda novidades que justifiquem tomar uma posição", argumentou o operador da corretora Spinelli, José Carlos Amado, à Reuters.


No exterior, o dólar tinha leve alta ante uma cesta de moedas, mas seguia perto dos seus níveis mais baixos desde dezembro, pressionado pelas preocupações que o presidente de Estados Unidos, Donald Trump, está focando mais no protecionismo e menos nas políticas econômicas para incentivar o crescimento.


Por outro lado, o dólar exibia queda ante algumas divisas de países emergentes, como o peso mexicano e o rand sul-africano. Internamente, o patamar de R$ 3,15 acabou se tornando um suporte informal do mercado. Na véspera, o dólar chegou a ser negociado neste nível, mas acabou atraindo compras e fechou o dia longe das mínimas.


A continuidade dos leilões de swap cambial tradicional --equivalente à venda futura de dólares-- pelo Banco Central embutia viés de baixa ao dólar.


"A atuação do Banco Central nos últimos dias deu liquidez para o mercado e contribuiu para o viés de baixa", avaliou o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.


O BC vendeu nesta sessão o lote integral de 15 mil swaps tradicionais para rolar os contratos que vencem em fevereiro. Com este leilão, o BC já vendeu o equivalente a 4,2 bilhões de dólares para rolar o total de 6,431 bilhões de dólares que vence em fevereiro. Na véspera, o dólar encerrou vendido a R$ 3,1688 – menor cotação de fechamento desde 8 de novembro (R$ 3,1674).

#Câmbio #Economia

Em Destaque
Publicações Recentes