Dólar fecha em leve alta e interrompe sequência de quedas


Moeda dos EUA encerrou a sessão em alta de 0,56%, a R$ 3,0841 na venda, após bater mais cedo nível de R$3,03.


A pós chegar a bater R$ 3,03 pela manhã, o dólar mudou de trajetória e fechou em leve alta ante o real nesta quinta-feira (16), interrompendo dois dias seguidos de queda que o levaram ao menor nível em mais de um ano e meio por conta de expectativas de entrada de recursos externos no país.


A moeda dos Estados Unidos encerrou a sessão em alta de 0,56%, a R$ 3,0841 na venda, após ter encerrado na véspera a R$ 3,067, menor preço desde 18 de junho de 2015. Veja a cotação


Na mínima do dia, o dólar chegiu a ser negociado a R$ 3,039, menor patamar intradia desde 18 de junho de 2015 (R$ 3,0292), segundo a Reuters.


Segundo a Reuters, o preço baixo, bem próximo de R$ 3 atraiu compradores interessados em recompor suas posições, provocando a alta.


Apesar dessa correção pontual, a trajetória da moeda norte-americana segue de baixa, segundo operadores ouvidos pela Reuters, com expectativas de entrada de recursos vindos do exterior devido, entre outros, às recentes captações feitas por empresas no Brasil.


O dólar ainda acumula queda de 2,12% ante o real no mês. No ano, recuo é de 5,1% no ano.


Cenário local

Na noite passada, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto para nova rodada de regularização de ativos mantidos ilegalmente no exterior, a chamada repatriação, programa que rendeu mais de 45 bilhões de reais ao governo no ano passado. Para essa nova fase, existem expectativas de que mais 20 bilhões a 30 bilhões de reais possam ser levantados.


A matéria, no entanto, volta agora ao Senado, por conta das modificações feitas, já que o projeto original é daquela Casa.


Ao longo do último mês, o dólar testou várias vezes o nível de R$ 3,10 até conseguir rompê-lo. O atual nível, em torno de R$ 3,05, era indicado por alguns profissionais com novo piso informal do mercado.Até então, o dólar mantinha a trajetória de queda ante o real vista nos dois pregões anteriores, influenciado pela aprovação da nova rodada de regularização de recursos brasileiros no exterior, reforçando a expectativa de fluxo positivo ao país.


"O dólar já caiu bastante e, neste patamar, falta um pouco de fôlego para ir além. Mesmo com a perspectiva de nova repatriação, os volumes não devem ser tão robustos quanto na primeira edição", avaliou a diretora de câmbio da AGK Corretora, Miriam Tavares, segundo a Reuters.


Atuação do Banco Central

O Banco Central fez nesta sessão o terceiro leilão seguido de até 6 mil swaps tradicionais - equivalentes à venda futura de dólares - para rolar os contratos que vencem em março, sinalizando que deixará expirar boa parte dos quase US$ 7 bilhões que vencem no mês que vem.


Segundo a Reuters, alguns profissionais acreditavam que uma forma de o BC conter um pouco o movimento de recuo do dólar ante o real é repetir nos próximos meses a redução da rolagem de swaps tradicionais.


Real lidera lista de moedas que mais se valorizaram

No exterior, o dólar caía ante uma cesta de moedas após onze dias de ganhos consecutivos.


Segundo levantamento da consultoria Infinity, a partir de dados da Bloomberg, o real é a moeda que mais se valorizou ante o real nos últimos 12 meses dentre as 16 principais divisas do mundo.


Até o fechamento da véspera, o real acumulava valorização de 7,13% no ano frente ao dólar e 32,3% em 12 meses. Na sequencia, está o rand sul-africano com valorização de 21% em 12 meses e de 5,23% no ano.

#Câmbio #Economia

Em Destaque
Publicações Recentes