Dólar inicia a semana em alta, de olho no cenário externo


No mês de março, o dólar acumula desvalorização de 0,16%, e no ano, baixa de 4,35%.


O dólar comercial opera em nesta segunda- feira (27), com o mercado repercutindo a derrota do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na votação de um projeto de lei para revisar o sistema de saúde.


Às 16h09, a moeda subia 0,93%, cotada a R$ 3,1371 na venda.


"A derrota de Trump traz imprevisibilidade ao mercado", disse à Reuters o operador da Advanced Corretora, Alessandro Faganello, destacando que as divisas mais ligadas às commodities são as que mais sofrem.


Segundo a agência, após o cancelamento na sexta-feira da votação do plano de saúde, aumentaram as preocupações dos investidores de que Trump terá dificuldades para cumprir outras promessas de campanha, em particular sobre gastos e cortes de impostos.


Nesta sessão, o dólar caía contra uma cesta de moedas, mas avançava ante a maioria das divisas de países emergentes, como os pesos chileno, mexicano e o rand sul-africano.


No Brasil

"A agenda carregada nesta semana também traz um pouco de cautela aos investidores", acrescentou à Reuters Faganello ao citar, por exemplo, o anúncio do contingenciamento do orçamento da União deste ano e de aumento de impostos previsto para terça-feira.


O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que entre as opções está o aumento do Imposto sobre Operações Financeiras, porém descartou IOF de câmbio, uma das preocupações dos investidores nos últimos dias.


"Essa informação, juntamente com a de que alguns países retomaram as importações de carne do Brasil, poderia trazer alívio ao dólar, mas na abertura houve pressão compradora, com investidores aproveitando os níveis de preço", acrescentou também à agência um operador de câmbio de uma corretora nacional.


Nos últimos dias, China, Egito e Chile anunciaram a reabertura de seus mercados à importação de carne brasileira, o que pode aliviar os impactos sobre a balança comercial do país.


O Banco Central brasileiro vendeu integralmente nesta sessão o lote de até 10 mil swaps tradicionais - equivalente à venda futura de dólares - ofertados para rolagem dos contratos de abril. Já foram oito leilões iguais, que reduziram a US$ 5,711 bilhões o estoque que vence no mês que vem.


Último fechamento

Na sexta-feira (24), a moeda norte-americana caiu 0,94%, a R$ 3,1083 na venda, depois de ter ido a R$ 3,1511 na máxima do dia, de acordo com a Reuters. No mês de março, o dólar acumula desvalorização de 0,16%, e no ano, baixa de 4,35%. Na semana, no entanto, avançou 0,24%.

#Câmbio #Economia

Em Destaque
Publicações Recentes